segunda-feira, 28 de setembro de 2009

DA ÍRIS DE UM ANJO

Eu deveria estar corrigindo redações, analisando jornais ou escrevendo relatórios, mas meu pensamento está longe... mesmo contra minha vontade a atenção se desvia do papel para onde eu queria estar, mas não posso, para onde o meu coração alcança, mas não os meus olhos.
Inquieta, levanto-me e caminho até a janela, ouço o alarido das salas de aula vizinhas, enquanto o vento que vem brincar em meus cabelos arranca-me um sorriso. Contemplo o céu em sua imensidão azul, azul tão intenso quanto a íris dos olhos de um anjo...

"Se eu soubesse fazer versos
e dominasse a arisca métrica,
comporia por você
minhas mais ternas
canções."

Um comentário:

Daniela Castro disse...

Adorei o texto,Aline. Geralmente,as melhores reflexões ocorrem nesses pequenos intervalos,quando estamos extremamente ocupadas em coisas triviais. É preciso dar uma pausa nas atividades,para contemplar o céu...