quinta-feira, 16 de julho de 2009

Qual é o preço que pago por ser eu mesma?

"E se me achar esquisita, respeite também.
Até eu fui obrigada a me aceitar."

(Clarice Lispector)

domingo, 5 de julho de 2009

2.0 - Alegria, Twitter novo e felicidades mil pra mim!

Aniversário

A Aline, 05 de julho de 2009


Nunca completei anos nem idade.
Completar anos é ter Aniversário...
O que eu tive mesmo, é verdade,
Um dragão horrendo e salafrário.

1989. O Mundo comemora o fim.
Nunca esqueço do que não lembrei.
Eu vivi a maravilha, eu vivi assim:
Olhando os viadutos... Eu era Rei.

A cidade festejava o grande feito
De uma política, eu sentia ânsia.
A ópera lenta, grave, sem defeito,
Vinha a mim, sonora, à distância.

Hippies fumando, o dia dos anos,
Meu aniversário em mim sozinho.
Cavaleiros medievais, soberanos,
Bailavam... Fantástico, o tristinho...

“Mocidade quente, o calor domina.”
Falam do velho mundo, do velho,
Velho tal uma lembrança pequenina
Duma dama que se vê no espelho...

A Europa era só pó, as alianças!
Tudo nos livros – em um museu –
Milhões de mortes e esperanças
Colocadas dentro dum Mausoléu.

Só um Aniversário! Grande muro!
Oh, meu Futuro ainda é Escuro,
A Guerra ainda é futuro, ó Vida,
Completar Anos é uma Ferida!...

Uma chance para o vento... Uma...
Napoleão Bonaparte, o seu Chapéu,
Agora é, sem desgraça nenhuma,
Uma alegre brincadeira de Papel!

“Corta o bolo, filho, um pedaço!”
Tirei uma foto no meio da floresta...
Meditei entre as estruturas de aço,
Será que só a lembrança me resta?

(Arco-íris multicor, transa animal,
Borboletas cruzando são tão belas!
Uma Roda Gigante Descomunal
Em cima de um Leito de Estrelas!)

O meu Passado foi condecorado
Com o Selo Imperial Português!
Quem irá entrar nele, descorado,
Esperando ser chefe, o Burguês?!

Eu tinha quando chegavam os dias...
Necessidade de estar bem sozinho.
Dias que eu era um Amarelo Linho,
Água cultivada em cabaças vazias...

“Comprarei o meu clipe colorido!...”
O pimpão destrambelhado, eu era.
Maior do que eu, erguia-se sofrido
O Quixote a lutar contra a quimera!

Faltava um dia somente pra o dia!
Um bolo na mesa já era o bastante...
Eu comia alegre como um viajante,
Eu sabia que ali havia mais poesia.

Tardinha no fundo do meu coração...
Põe-se a História dentro de mim,
Lá no fundo de um Velho Porão
Havia uma alma que rogava assim:

“Sonha criança, o teu sonho é guia!
Em cima de um muro, ergue a espada,
Velha e de madeira – sem elegia –
Fura o peito Heróico do teu Nada!”

Já completei anos. A vida balança
O que eu não se dizer... Era criança,
Era um sonho, verdejante estrada,
Um Romeu feliz com a sua amada...

Correm as meninas e os meninos,
Vultos que não sei se é o Vento...
Ah, aniversário! Repicam os sinos,
Vibração inconstante, sentimento!

Desejei somente a paz da solidão,
Sem tremer de chão, sem a morte...
Pratos na África – para população –
Talvez fossem um golpe da Sorte...

E embrulho os presentes que tive
Somente em meus Sonhos vãos.
A Vida soube me dar, inclusive,
Uma Casa de Lã, sem os vãos.

A hora de apagar a branca vela
Equivalia a apagar uma estrela...
O movimento do sopro invisível
Acenderia o Tempo, o infalível...

Eu completo anos dessa maneira.
A Vida que, descendo a Ladeira,
Esquecera-se d’outro lado, oposto,
O lado em que subimos sem rosto.


Felipe Garcia

ps. Sim, hoje é meu aniversário e mesmo sem gostar de confetes estou muito feliz, muita coisa boa, muitas novidades em minha vida e principalmente a chegada das tão merecidas férias! Ah, havia feito um twitter mas não tinha me dado muito bem, tanto que acabei esquecendo a senha e não consegui recuperar! Mas hoje resolvi fazer outro, ou seja, inclui mais um item na minha lista de vícios! Se alguem quiser dar uma olhadinha ou até me seguir (o que acho muito difícil) meu endereço é esse:

http://twitter.com/Aline_Patricia

Boa Semana para todos nós!