quinta-feira, 18 de março de 2010

Inexato

É como se tivesse um minuto apenas
e nesse minuto todas as coisas devessem ser acabadas.
Comprei alguns livros novos,
seria frustrante saber que não os lerei,
tenho também alguns desejos antigos
inconformada ficarei se não puder realizá-los.
Pego-me pensando nas coisas mais absurdas,
mais sedentas e mais lindas,
mais infinitas e mais difíceis
de se fazer realidade no banco da expressão.
Ninguém imagina como tem sido difícil calar-me,
não há representação ou poema que abarque isso tudo
em seu nada.

Nenhum comentário: