terça-feira, 5 de junho de 2012

Prisão



Em silêncio, eu buscava discernimento sobre alguns assuntos sentimentais, plano amoroso acidentado. Ele desconfiava do que não havia passado, mas evitava a pergunta e, consequentemente, a resposta que tantas vezes me serviu de justificativa para recusar namorá-lo. Sempre era tranquilo o nosso café da manhã - mesmos gestos, perguntas e alimentos numa repetição quase que ritualística, mas hoje estava nublado. Depois de recolher a louça, eu sempre sentava em seu colo para alguma carícia matinal, abraço hospitaleiro e mãos de desejo às 7 horas da manhã. A presença constante do ontem me perturbava, coisas vividas e vistas, reencontro, era preciso forjar esquecimento.

Da janela alta da cozinha, o céu azul me desviava o sentido, não hesitei quando senti lábios quentes me tocarem o pescoço, mas meus olhos ainda corriam em direção ao que ele não podia ver. Nem saber. 


4 comentários:

Kok disse...

Olá, Aline! Beijos!!!
Foi uma surpresa agradável a tua visita. Tua, sua, não importa!
Gostaria que tivesses tempo e disposição para repetires.
Sei que não é fácil atravessar o atlântico somente para ler uns textos cuja valia é discutível, ou nem isso.
Mas, para além do prazer que tem quem escreve, esse prazer aumenta quando ouvimos/lemos que outros, apreciando ou não o nosso "prazer", nos fazem eco com os seus comentários.
Termino deixando-te um beijos cheio de sorrisos, desejando que alcances o que os teus olhos vêem ao amanhecer!

Rob Novak disse...

Oi Aline! Vamos vivendo (ou algo parecido com isso) e acabamos por esquecer de registrar as inúmeras rotas que nossas ideias e sentimentos vão traçando. Mantive-me afastado e estou tentando não ficar muito tempo sem escrever algo, mas está complicado. Todas as prisões nas quais nos encontramos parece ser difícil de se escapar, sejam sentimentais, emocionais ou intelectuais. Mas, que 2011 foi animado, isso foi. 2012 está sendo também, mas, sempre se deseja mais emoção, na verdade..rsrs..
E obrigado pelo 'moço de prosa fácil' :) Prosear é comigo mesmo ;)

Abraços dos sul,
Robson

Hag disse...

Quanto tempo não passo por aqui! Hoje eu pensei, vou entrar nos blogs que estão marcados no meu. Será que essas pessoas continuam escrevendo, fiquei muito feliz que, mesmo com o título de construção (eu entendi o recado), eu ainda pude ser agraciado com esse belo texto.

Bjs, volto sempre!


http://umtaldehag.blogspot.com.br/

Rodrigo M. Freire disse...

Gostei!